domingo, 28 de maio de 2017

ínfima partícula


sou um rio no desejo 
do teu olhar
e nos teus lábios 
abertos 
perco o chão 
de tanto mar.


4 comentários:

  1. Uma forma singela e tão forte de dizer "amo-te" ao ser amado.
    Que doce e belo poema, meu amigo. Possa o rio permanecer em manso fluir eternamente.
    Beijo de luar

    ResponderEliminar
  2. Grande poeta Castanheira!...
    Teus versos de amor estão
    A dar tua dimensão
    Em escala verdadeira.

    Teus versos deixam uma esteira
    De luz, que a iluminação
    Abrange toda a amplidão
    Da poética mensageira.

    És mais que rio, és o mar
    Com versos a marulhar
    Como se um canto divino.

    Castanheira, tens lugar
    No Panteão invulgar
    Dos imortais, por destino!

    Parabéns, amigo por todos os poemas que escreves, que me parecem terem origem no coração como extensão do cérebro ou no cérebro como extensão do coração. Bravo! Meu abraço fraterno e gratidão pelas partilhas. Laerte.

    ResponderEliminar
  3. Tão lindo, singelo e íntimo!

    Gostei muito.

    Beijos e boa semana.

    ResponderEliminar
  4. curto
    singelo
    sensual
    e tão completo!

    gostei muito!

    bom fim de semana.

    beijinhos

    :)

    ResponderEliminar