sexta-feira, 23 de junho de 2017

pinhal interior_natureza morta


ardem as palavras 
incendiadas
na dor.

e sem fuga
no meio do terror
o grito cercado
desesperado
em turbilhão.

vidas em fogo
destruídas
sem compaixão.

entre o céu e a terra
as labaredas da nossa
incompreensão...



sábado, 10 de junho de 2017

deste nosso mundo

andre kohn

esta noite
todos os cantos são redondos
aos ouvidos e ao olhar
todos os sinais
são​ presentes
na presença do teu corpo
que adivinho
no interior deste amar.

esta noite
hás-de estar ao chegar
sem espera no tardar
e hás-de despir o preconceito
de dar
e receber
esta música
da pele a cantar.

esta noite
o nosso mundo é uma concha
e nada nos deverá perturbar.


[Nota: Um arreliante problema criado por recentes actualizaçõs do Google impedem-me de publicar comentários.

Pelo facto peço as m/desculpas.]