sexta-feira, 23 de junho de 2017

pinhal interior_natureza morta


"fénix" - foto da net
(atente-se ao lado esquerdo - parece uma imagem feminina com almas ao colo)

ardem as palavras 
incendiadas
na dor.

e sem fuga
no meio do terror
o grito cercado
desesperado
em turbilhão.

vidas em fogo
destruídas
sem compaixão.

entre o céu e a terra
as labaredas da nossa
incompreensão...



2 comentários:

  1. "Entre o céu e a terra, as labaredas da nossa incompreensão".... Completamente de acordo - uma total incompreensão -, avassaladora, como o fogo devastador e devorador. Faço silêncio neste pinhal interior onde a natureza também se cala na morte.

    Belo e triste, mas tocante .

    Beijo de luar

    ResponderEliminar
  2. Leio o teu poema e fico em silêncio. Ainda me ardem no coração tantos corpos queimados, tanta floresta perdida...
    Um beijo, meu Amigo.

    ResponderEliminar